Será a Globalização Reversível?

É necessário analisar mais em profundidade a relação entre A GLOBALIZAÇÃO e a difusão do poder no mundo atual: difusão de poder dos Estados para grupos diversos, para o nível supranacional, entre outros fluxos. A coexistência de um mundo centrado nos Estados, ligado às fronteiras, à soberania, às instituições centralizadas, com um mundo ligado por fluxos, o mundo das redes, das conexões e dos dados, das economias digitais, com impactos negativos e positivos, traz-nos diferentes tipos de desafios, em termos da segurança e do desenvolvimento. A gestão atual das migrações são um exemplo da aplicação de abordagens tradicionais/territoriais de segurança a uma realidade que diz respeito a fluxos e redes.

Neste contexto, assistimos a um grande défice na governação global, com as instituições políticas não adaptadas à globalização, o que gera descontentamento e uma dissociação com as aspirações dos povos. A nova normalidade é não existirem certezas: os partidos políticos tradicionais fragmentam-se e a direita e a esquerda perdem-se em divisões internas, sendo a maior fratura atual entre aqueles que defendem a abertura e os que preferem o protecionismo e o nacionalismo. Outra questão é o impacto que a evolução tecnológica, a robótica e a inteligência artificial terão na recuperação da economia e na organização das sociedades. O sistema tem de funcionar de forma a que as pessoas não se sintam excluídas; no fundo, a pergunta de base para cada um é: “is globalization working for you?”