As Conferências de Lisboa são um evento internacional de periodicidade bienal, com a finalidade de promover o debate sobre o Desenvolvimento.

Os desafios do Desenvolvimento são globais, interdependentes e complexos, estando ligados a profundas mudanças na arquitetura das relações internacionais. As novas configurações estratégicas e geopolíticas, as ameaças à segurança e à paz, a urgência de salvarmos o planeta e os desafios da sustentabilidade, a diversificação geográfica dos polos de crescimento, a incoerência entre redução da pobreza e aumento das desigualdades, estão entre esses desafios. Estas mudanças podem ser analisadas pela lente dos 5P (Pessoas, Planeta, Prosperidade, Paz e Parcerias), em torno dos quais organizamos o nosso trabalho.

 

Background

As Conferências de Lisboa resultaram de um Protocolo de Cooperação assinado em 13 de outubro de 2013 por sete entidades públicas e privadas: Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa (CCIP), Câmara Municipal de Lisboa (CML), Fundação Portugal-África (FPA), Instituto Marquês de Valle Flôr (IMVF), Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), Sociedade para o Financiamento do Desenvolvimento (SOFID) e União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA). 

O objetivo foi criar em Lisboa um polo de referência internacional de reflexão e debate policy-oriented sobre o desenvolvimento, tendo como atividade principal a realização bienal das Conferências de Lisboa. Saiba tudo sobre as conferências realizadas (2014, 2016, 2018) aqui.

De forma a potenciar o objetivo das Conferências e a estimular o debate e a reflexão sobre questões abrangentes da cena internacional, as partes decidiram realizar outras atividades associadas, com particular ênfase às mais impactantes para Portugal e a Europa.

Assim, os representantes das entidades instituidoras decidiram lançar o Clube de Lisboa, com a finalidade de promover o debate sobre assuntos globais, com realce aos do desenvolvimento, da sustentabilidade, da geopolítica, da geoeconomia, das transformações tecnológicas e das transições energéticas. A partir da criação do Clube, em dezembro de 2016, as Conferências de Lisboa passaram a ser por ele organizadas.